João Pessoa, -  

  

 

 

SANTA TERESA BENEDITA DA CRUZ (EDITH STEIN)

“Geralmente recebemos uma cruz mais pesada quando queremos nos livrar daquela que tínhamos antes.”

“Para mim é muito irreal pensar que a divina misericórdia se ligue nos limites da Igreja visível. Deus é verdade. Quem procura a Verdade está na busca de Deus, queira ou não queira.”

“A essência mais íntima do amor é doação.”

“O sofrimento e a morte de Cristo têm sua continuação no seu Corpo Místico e em cada um de seus membros. Cada pessoa humana deve sofrer e morrer. Mas quando ela se sente membro vivo no Corpo de Cristo, então seu sofrer e morrer recebe, pela divindade da cabeça, força redentora. Este é o motivo objetivo, por que todos os santos têm desejado sofrer.”

“Fique o tempo suficiente na igreja, como achar necessário, pra encontrar serenidade e paz. Isto faz um bem enorme não somente a você, mas também ao trabalho e a todos quantos o rodeiam.”

“A multiplicidade das ordens, congregações e associações livres não é um puro acaso, nem o resultado de uma desorientação de caminho, mas corresponde à multiplicidade das finalidades e das pessoas. Nem todos se prestam a tudo, e uma associação ou uma forma de organização também não será capaz de resolver todas as exigências. Um Corpo- mas muitos membros—um Espírito, mas muitos dons. Onde cada qual pertence é uma questão de vocação.” “Existe uma vocação para o sofrimento com Cristo e, por isso, para a colaboração com sua obra redentora. Quando estamos unidos com o Senhor, somos membros de Seu Corpo Místico: Cristo continua vivo em seus membros e continua seu sofrimento neles; e o sofrimento que se suporta em união com o Senhor é Seu sofrimento, colocado na grande obra redentora e nela existe seu fruto. É o pensamento fundamental de toda vida religiosa, mas principalmente da vida no Carmelo: colaborar na salvação da humanidade pelo sofrimento voluntário e alegre em prol dos pecadores.”

“Compreendi que mesmo na vida mais contemplativa, os laços com o mundo não podem ser cortados. Acredito até: quanto mais profundamente alguém é atraído para Deus, tanto mais intensamente deve ‘sair de si’, no mundo, para irradiar ao mundo a vida divina.”

“Acredito que você pode ajudar melhor os outros preocupando-se o menos possível com as soluções e mantendo sempre uma atitude despreocupada e alegre.”

“Sou somente um instrumento do Senhor. A quem me procura desejo dirigí-lo para Ele.”

“A senhora não imagina como fico envergonhada toda vez que alguém fala de nossa “vida(carmelitana) sacrificada”. Vivi uma vida sacrificada enquanto estava no mundo. Agora quase todas as preocupações me foram tiradas e tenho em abundância aquilo que faltava antes. Naturalmente existem irmãs entre nós, das quais se exigem diariamente muitos sacrifícios. E tenho esperanças de que eu também possa sentir um dia a crescente vocação da cruz mais do que agora...”

“Quem pertence a Cristo, deve viver total e inteiramente a vida de Cristo.”

“Todos os sofrimentos vindos de fora não são nada em comparação com a noite escura da alma, quando a luz divina não mais ilumina e a voz do Senhor já não fala mais. Deus está aí, mas Ele está escondido e fica em silêncio.”

“Quando o intelecto alcança o seu máximo, ele chega aos seus próprios limites. Ele tenta encontrar a verdade mais sublime e última, e descobre que todos os nossos conhecimentos são apenas fragmentos. Então quebra-se o orgulho e enxergamos duas coisas: ou ele cai no desespero ou coloca-se em humildade e temor diante da verdade impenetrável e recebe, humildemente na fé, o que não pode ser conquistado pela atividade natural do intelecto.”

“Compartilhando o sacrifício e a ceia, alimentados pela carne e o sangue de Jesus, nós nos tornamos sua própria carne e seu próprio sangue. Na medida em que somos membros de seu corpo, pode animar-nos o espírito de Jesus e em nós reinar.”

“A alma da mulher deve ser ampla e aberta para tudo o que diz respeito ao ser humano.” “Generosa deve ser a alma da mulher, nada humano deve ser alheio a ela : seu interesse principal se dirige aos seres humanos e às relações humanas.”

“Como o corpo terreno precisa do pão diário, assim também a vida divina em nós anseia pelo alimento eterno: Este é o pão vivo que desceu do céu. Quem faz dele o seu pão diário, nele se realiza diariamente o mistério do Natal, a encarnação da Palavra.”

“Deus só é conhecido na medida em que Ele se manifesta. E os espíritos, aos quais ele se revela, transmitem a revelação. Conhecer e anunciar estão unidos. Mas quanto mais sublime o conhecimento, tanto mais escura e misteriosa, mais difícil torna-se sua expressão em palavras.”

Imprimir

topo

 

 

www.fraternidadeOblatos.com - Todos os direitos reservados